terça-feira, 13 de maio de 2014

Coisas que me definem


O afastamento. Posso dizer que não existe ninguém para quem eu não fale. Ao longo da minha vida, tantas pessoas passa(ra)m por ela... tantas... e nunca me chateei ao ponto da ruptura total. Digo sempre o que penso mas mantenho sempre as relações cordiais. A minha reacção é literalmente o afastamento. Os meus amigos sabem que sou desligada por natureza... Mas aqui é diferente. Com um amigo, mesmo depois de bastante tempo sem contacto, quando volto a falar... é como se nos tivéssemos falado no dia anterior. Com estes não... eu simplesmente desligo. A desilusão, o magoar, o não me identificar com atitudes e pensamentos, o confronto de valores... leva-me a afastar da pessoa. Não guardo ressentimentos mas também não me esqueço, e a confiança que foi quebrada... jamais pode ser restaurada da mesma forma. Eu sou assim... O desapego dói, crescer dói... mas é necessário para seguirmos o caminho sem pesos e sem algo que nos faça mal e/ou infelizes. Como já disse aqui um dia, muitas vezes o desapego não significa que deixamos de gostar do outro, significa que gostamos mais de nós próprios. Eu escolho-me a mim.

7 comentários:

  1. Gostava de ser como tu mas não consigo infelizmente tive que me afastar em todos os sentidos de algumas pessoas, por vezes fico triste com isso mas com outras pessoas fico a pensar que foi o melhor que fiz na vida e até mesmo que deveria ter tido essa opção mais cedo. Beijinho enorme

    ResponderEliminar
  2. Não sou desapegada...bem pelo contrário; por isso certas atitudes doiem e marcam-me. Mas tenho a sorte (será?) de continuar a gostar de toda a gente. Mas entendo-te...
    Beijo e uma semana feliz.
    Graça

    ResponderEliminar
  3. Sim Mary, compreendo-te! ;) Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  4. Se calhar esse desapego é já uma defesa Gracinha :) Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  5. Eu demoro muito a desapegar-me, mas quando acontece é sem volta a dar...

    ResponderEliminar