sábado, 22 de fevereiro de 2020

Lugar(es)


Talvez esteja a passar umas das fases mais tumultuosas interiormente da minha Vida. Sempre fui uma mulher de raízes. A minha família, os meus animais, a minha terra, a minha cidade, as tradições. Sempre fiz amigos facilmente e também facilmente me inseria em qualquer ambiente. Também sempre fui interventiva e participativa na vida social que me rodeava... a Junta de Freguesia, a Igreja, as Associações, as Colectividades. Sempre soube bem onde pertencia e a quem. Hoje, tudo mudou. Mudei de cidade... e não me reconheço. Sinto que perdi o brilho de outrora e a felicidade também. Não me sinto parte deste lugar nem das pessoas que nele habitam. Eu adoro a cidade, mas não me sinto parte dela. As pessoas não me cheiram a família e não tenho o calor do familiar e do Amor que alenta. E estas pessoas também não me conhecem, talvez pensem que sim... Mas eu Sou tão mais do que o que sou agora. Sempre fui um pouco solitária mas nunca sozinha. Mas agora, agora sinto-me sozinha... numa cidade que não me dá o calor e o companheirismo que gostava. Olho ao espelho e não me reconheço na tristeza que me vai dentro. Já nem as minhas raízes me fazem serenar. Pode ser uma questão de tempo, pode ser uma questão de mudança... Ou uma questão de resiliência. Só gostava de me Sentir bem, sentir-me Eu mesma. Quero o meu coração com novas raízes, algo que me faça Sentir parte desta Cidade e tudo o que ela embarca. Quero ter uma Casa fora de Casa.

Sem comentários:

Publicar um comentário